26 de abril de 2015

Paixão é o que nos move...


texto
Eu tinha como meta na vida ter meu primeiro emprego em uma livraria. E foi um dia por acaso que eu levei um currículo na loja da cidade. Em mais ou menos uma semana eu estava contratada. Dizem por aí que o primeiro a gente nunca esquece. Mas esse realmente eu não terei como esquecer. Todos os dias acordo cedo e vou para um lugar pelo qual sou apaixonada, para aprender sobre algo que gosto e enfrentar desafios, como lidar com clientes e realizar vendas (que é bem mais complexo do que imaginamos). Peguei um gosto particular de passar meu tempo de folga em bibliotecas, da escola ou pública, só para estar ainda mais mergulhada nesse universo, e nessa companhia e, como se não bastasse, estou fascinada por esse universo de vendas, que tenho adquiro muito conhecimento no curso de marketing.

A primeira coisa que digo a vocês sobre meu emprego é: "NÃO, EU NÃO PASSO O DIA TODO LENDO". Por mais que seja do agrado da minha chefe que a gente saiba um pouco sobre todos os livros novos e velhos, seus respectivos lugares, preços e para qual público indicar, é fora de questão ler um livro que vamos vender logo em seguida. Não temos tempo pra isso, estamos sempre guardando o que chega, conferindo nota, separando encomendas, atendendo clientes, tirando pó, organizando... E no final, o que resta é apenas "dar uma folheada" em algum título ou outro, ver rapidinho do que se trata, com todo cuidado pra não marcar nem danificar o livro.

atendente

Ser vendedora é estar à disposição. Às vezes você não está legal, mas abre um sorriso, porque sabe que um ambiente agradável se dá com pessoas agradáveis. Algumas pessoas sorriem de volta, outras não. Uma pena que a maioria não costuma retribuir. Seja por timidez, seja por não querer um vendedor no seu pé ou por ignorância mesmo. Não é meu trabalho julgar. Geralmente as pessoas não esperam da gente apenas respostas... Eu percebi isso e estou aprendendo a conversar. Ou então, dependendo dos casos, a ouvir. Pois há pessoas que tem tanto a dizer e não esperam resposta alguma... Parecem até seres divinos que tem uma mensagem a entregar. Essas ligações, essas trocas, eu lhes garanto que elas não tem preço.

Como gosto de comentar com colegas, cada pessoa que entra na loja é única e tem suas peculiaridades. É bom, de alguma forma, contribuir para que um problema se solucione, ou que uma vontade seja "saciada". Por outro lado preciso sempre me recordar o quanto não sou perfeita, pois se depender das pessoas, elas não perdoam. Esse é o "poder" que por falta de humanização muitos não sabem administrar. 

Dia desses uma garota estava junto à sua mãe escolhendo alguns livros... Ela me chamou. Colocou três livros com capas obscuras sobre uma bancada e disse para mim: "Me ajuda a escolher? Não quero nada que seja de terror". Eu olhei para as capas dos livros e quase falei: "Mas só de olhar para esses livros eu já fico com medo, moça!"... Não digo pois sei que o que pode ser pra mim, pode não ser pra ela. Conversamos até chegar em uma conclusão. E ela pareceu satisfeita com sua escolha.

Indicar livros é sempre muito difícil, pois sempre tive comigo que ler livros indicados é bom, mas é muito melhor quando um livro "te escolhe". Você olha pra ele, ele te olha e a história de amor começa aí. Cada pessoa tem um gosto, um sentimento, uma bagagem cultural que permite que ela leia um livro e goste... Ou não. Mas tudo depende muito do momento, da maturidade, do quanto você está disposto a compreender a mensagem que o autor quis passar. Não há sensação mais gostosa do que indicar livros para pessoas que compartilham do mesmo gosto, numa simples venda acabamos conquistando amigos... Porém há pessoas que pedem por aquele "romance medieval, com suspense mas sem terror e uma pitada de comédia" que complicam e muito minha vida! Eu olho desesperada para todos os livros testando a sorte para ver se me lembro de algum e tudo que eles fazem é uma cara de pena para mim.

Pois bem, como minha gerente costuma dizer, nossa mercadoria não é comum. A gente não vende pra nenhum público específico, não vende pra dar status, não vende pra incentivar o consumismo dilacerado, não vende para satisfazer egos... Nosso comércio é o conhecimento, é a companhia de um bom autor, é uma arte que guardamos, que apreciamos, que interagimos, que nos fascinam.

Encerro esse texto com um trecho da música Linhas Tortas, de Gabriel O Pensador:

"- Que que é isso aí? É droga?
- Não, mas faz quem usa viajar!
- É o que... arma?
- Não, mas faz quem usa ser mais forte!
- Que que você vai fazer com isso?
- Eu vendo isso pra quem tem o poder de compra
dos que não podem comprar e ajudo a aplicar no povo,
explico o modo de usar. Eu vendo livros cara!
- É um bom negócio?
- Honesto e bom, pode crer! E a melhor parte
é poder entregar e saber que alguém vai ler."
O que achou?
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Categorias:

18 comentários:

  1. Trabalhar com o que se ama é provavelmente a única felicidade possível.
    GK

    ResponderExcluir
  2. Essa simpatia de alguns vendedores me fascina. Pena que não são todos que nos tratam com cordialidade, entusiasmo... Alguns nos tratam de qualquer jeito, com menosprezo, como se julgassem a gente. Uma pena. Ótimo post! Parabéns por ser uma vendedora assim.

    https://www.facebook.com/emersongaffonso

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade! Fico feliz que tenha lido e gostado =)

      Excluir
  3. Sou fascinada por livrarias.

    bjokas =)

    ResponderExcluir
  4. Meu sonho trabalhar em uma livraria! hahaha Gostei muito do jeito que você explicou sem deixar de fora os detalhes... Amo a forma que você escreve, beijo
    @irianneveloso

    ResponderExcluir
  5. Sempre tive o desejo de trabalhar em livraria e o pessoal acha estranho haha. Organizar, conferir, ou simplesmente estar repleta de objetos mágicos deve ser ótimo!

    A Livraria não está aceitando currículos não, Suzana?
    Beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É ótimo mesmo kah! Infelizmente, não. Tente no final do ano, é mais fácil você conseguir :)

      Excluir
  6. Nada melhor do que trabalhar em algo que gostamos realmente. Os dias passam sempre a correr quando assim é. Sente-se a tua paixão pelos livros :)

    http://ummarderecordacoes.blogs.sapo.pt/

    ResponderExcluir
  7. Fico feliz por você estar gostando do seu emprego, é muito bom trabalhar com o que a gente ama, boa sorte!
    Beijos!
    www.mahmaquiagens.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  8. Olá Suzana.

    Que demais, sério, post muito bem descrito e contando como é e realmente não da tempo mesmo de ler rs.
    O primeiro nunca esquece e o melhor de tudo é que escolheu o que ama, parabéns por isso e amei saber como esta sendo tudo pra você.

    Beijos!
    De tudo um pouco

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada Tami pelo seu comentário ♥

      Excluir
  9. Seu texto♥
    http://pensamentosdefabs.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Bem, a minha maior vontade MESMO é abrir uma livraria, mas como isso é sonhar muito alto, tenho um sonho menor em trabalhar em uma também. Seria tão bom partilhar da minha experiência com outras pessoas, nhaw! Adorei esse post, fez com que meu sonho fosse mais gostoso ainda, hehehe <3

    Beijos,
    http://daniperere.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sem dúvida você pode conseguir Dani! Acho melhor começar trabalhando em uma antes de abrir a própria, assim você ganha experiência, conhecimento e acaba entendendo melhor o comércio. Será mais fácil pra vc no futuro. Beijão!

      Excluir

Deixe sua opinião, será muito bem vinda!

Caso tenha alguma duvida, pergunte, e volte no post que logo será respondido.

Os comentários não aparecem aqui assim que você comenta, todos os comentários são moderados, e podem demorar um pouco para aparecem na página.

ATENÇÃO BLOGUEIROS: Evite spam, não deixe mais de um link na sua postagem, ao contrário ela não será aceita. Eu retribuo COMENTÁRIOS DECENTES. :)