3 de setembro de 2014

Leitura obrigatória para leitores.


resenha

Autor: Ray Bradbury| Editora: Globo | N° de Pág.: 256

"-- A escolaridade é abreviada, a disciplina relaxada, as filosofias, as histórias e as línguas são abolidas, gramática e ortografia pouco a pouco negligenciadas, e, por fim, quase totalmente ignoradas. A vida é imediata, o empego é que conta, o prazer está por toda parte depois do trabalho. Por que aprender alguma coisa além de apertar botões, acionar interruptores, ajustar parafusos?"

quotes

"Eu não falo de coisas, senhor. Falo do sentido das coisas. Sento-me aqui e sei que estou vivo."

Qualquer semelhança com a realidade é "mera coincidência" - ou não.

Fahrenheit 451 

é um romance de ficção cientifica, que se passa no futuro em que as casas são à prova de fogo, e os bombeiros viraram ateadores de fogo: Nos livros. As pessoas não devem questionar, e nem querem, todos querem a felicidade, querem se entreter a todo custo, fugir do tédio, fugir de suas consciências e da realidade da vida. O ato de pensar, a filosofia se extinguiu.

Guy Montag, um dos bombeiros que, com prazer, queima a 451 Fahrenheit (o que equivale a 233 graus Celsius) os livros ainda escondidos pelas casas, é despertado por sua vizinha Clarice, que conserva os costumes de questionar e conversar sobre ideias. Aquilo tudo intriga muito Guy, e ele começa a se perguntar sobre o sentido das situações que se passam ao seu redor.

No começo foi um pouco difícil se adaptar a escrita de Ray, mas com um pouco de paciência eu já estava envolvida com a história e entendendo tudo. Fahrenheit 451 é um clássico e requer um pouco mais de atenção ao decorrer da leitura, para não passar nada despercebido. Um livro incrível, muito questionador, com alguns resquícios de poético, que critica o rumo que nossa sociedade tem tomado.

O debate entre Guy e seu capitão Beatty é uma das melhores partes do livro e que mostra a posição do autor bem clara. A população não foi simplesmente censurada à força, pelo contrário, ela mesma se desinteressou pelo conhecimento, procurou o entretenimento e foi facilmente alienada.

“Se não quiser um homem politicamente infeliz, não lhe dê os dois lados de uma questão para resolver; dê-lhe apenas um. Melhor ainda, não lhe dê nenhum. Deixe que ele se esqueça de que há uma coisa como a guerra. Se o governo é ineficaz, despótico e ávido por impostos, melhor que ele seja tudo isso do que as pessoas se preocuparem se ele é ou não. Paz, Montag. Promova concursos em que vençam as pessoas que se lembrarem da letra das canções mais populares ou dos nomes das capitais dos estados ou de quanto foi a safra de milho do ano anterior. Encha as pessoas com dados incombustíveis, entupa-as tanto com “fatos” que elas se sintam empanturradas, mas absolutamente “brilhantes” quanto a informações. Assim, elas imaginarão que estão pensando, terão uma sensação de movimento sem sair do lugar. E ficarão felizes, porque fatos dessa ordem não mudam. Não as coloque em terreno movediço, como filosofia ou sociologia, com que comparar suas experiências. Aí reside a melancolia.”

Os personagens secundários também expressam como suas identidades foram aniquiladas, como a esposa de Guy, que não tem um pingo de sensibilidade, apenas quer esquecer tudo, comprar e se divertir o tempo todo (você conhece alguém assim?).

Nota: ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ / 5 - | Leitura média | Comprar 

Me siga no Skoob.
E no meu Tumblr de Quotes também ♥

O que achou?
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Categorias:

28 comentários:

  1. Oie Suzana uma ficção bem intrigante, como assim censurados a força? Leitura tensa, acho que é daquelas que nos leva a vários questionamentos, boa resenha, gostei, beijinhooos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que uma "censura à força", seria sob um regime totalitário, que proibe certas atitudes e etc. Eu explico que as pessoas não foram censuradas e sim elas que escolheram essa situação.

      Excluir
  2. Não conhecia, mas adoro uma ficção, vou procurar haha
    fashionemcores.com

    ResponderExcluir
  3. Não conhecia, mas já curti! :D
    Amei!
    Beijos e fique com Deus!
    Batom de Framboesa

    ResponderExcluir
  4. Já quero ler. Parece bastante interessante.
    Beijinhos
    Dani

    http://www.daniellaguedes.com.br/
    @_danielaguedes

    ResponderExcluir
  5. Adorei a resenha! Um livro bem intrigante e diferente, né? Faz tempo que não leio livros assim!
    http://totalmenteanta.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Livros futuristas sempre me deixam confusa, acho que foi aquele "Feios" que eu comecei a ler e nunca terminei.

    Um pouco sobre a Luna, um pouco sobre minha memória horrível + Fan page pra curtir!
    Blog: Wow, Lovely!

    ResponderExcluir
  7. Gostei da indicação do livro, e sei bem como é, já li um livro que quando comecei não entendia nada, uma leitura bem complicadinha, mas com o tempo eu fui me envolvendo e hoje é um dos meus livros favoritos. ♥
    Esse livro parece ser ótimo.

    Beijoss
    www.conversandocomalua.com

    ResponderExcluir
  8. pela resenha achei um livro bem interessante!
    mas não conhecia (:

    www.blogamorarosa.com

    ResponderExcluir
  9. Em certos momentos, para ser feliz, o melhor é não questionar mesmo... já ouvi falar do filme, mas não sabia do livro... estou curiosa pelos dois agora. beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas não é a decisão certa a ser tomada! Como aquela frase "Penso, logo existo", quando deixamos de questionar, viramos robôs e não seres viventes!

      Excluir
  10. Não conhecia, obrigada pela partilha

    Sónia
    www.tarasemanias.pt

    ResponderExcluir
  11. Eu já vi esse livro em vários vídeos do youtube, mas nunca procurei de fato uma resenha, depois de ler a sua fiquei com vontade de ler, me lembrei vagamente de admirável mundo novo rs.

    http://booksandflowers.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já ouvi falar em Admirável Mundo Novo, tenho curiosidade sobre =)

      Excluir
  12. Eu não sei se é exatamente igual ao filme, tive que ver no primeiro período da faculdade na sala de aula e achei bem bacana porque como naquela época já se imaginava uma tv de tela fina que todos iam ficar encantados e iam ficar obcecados por ela. E mostra umas outras coisas modernas que você fica como eles pensaram nisso naquela época falando sobre o futuro? rs É de chocar.
    Beijos!

    http://www.pamlepletier.com/

    ResponderExcluir
  13. É difícil encontrar resenhas sobre livros como esse. Achei tudo muito incrível e totalmente diferente. Quero ler já :)

    Beijos!

    ResponderExcluir
  14. Esse livro deve ser uma loucura kkk, mas até achei interessante :)

    www.vivendosentimentos.com.br

    ResponderExcluir
  15. Esse livro parece ser bastante interessante!
    Vai para a minha lista!

    Páginas em Preto

    Beijos

    ResponderExcluir
  16. Nunca li um livro dele mas ouço só coisas boas a respeito!!

    Adorei tua reesenha, deu vontade de ler!
    Beeeijo
    http://blogandocomadeni.blogspot.com.br/2014/09/mary-kay-e-os-lancamentos-de-setembro.html

    ResponderExcluir
  17. Ótima resenha! Fiquei com um pouco de vontade de ler, pena que meu tempo é limitado :/
    Beijos,
    Julie | http://www.juliechagas.com/

    ResponderExcluir
  18. Acho a história cativante, mas nunca tive a oportunidade de ler :)

    ResponderExcluir
  19. Eu li o filme e simplesmente adorei, mas ainda não tive oportunidade de ler o livro. Em breve vou fazê-lo :)

    http://ummarderecordacoes.blogs.sapo.pt/

    ResponderExcluir
  20. Desconhecia a obra, mas fiquei curiosa!

    Bjxxx

    ResponderExcluir

Deixe sua opinião, será muito bem vinda!

Caso tenha alguma duvida, pergunte, e volte no post que logo será respondido.

Os comentários não aparecem aqui assim que você comenta, todos os comentários são moderados, e podem demorar um pouco para aparecem na página.

ATENÇÃO BLOGUEIROS: Evite spam, não deixe mais de um link na sua postagem, ao contrário ela não será aceita. Eu retribuo COMENTÁRIOS DECENTES. :)