26 de abril de 2013

Os professores pararam. Alguns alunos comemoram, outros, ficam perdidos entre trabalhos para entregar e matérias mal terminadas. Esse texto é a realidade dos últimos dias na minha escola, e em muitas escolas de São Paulo também. É a greve. Como todo ano, quando menos se espera, quando menos se quer, mas pode ser necessário.

Esse é apenas um desabafo de uma aluna que está um pouco irritada com a situação que se repete todos os anos e parece não haver resultado. Posso estar errada, mas é apenas minha voz em meio ao desespero dos professores e alegria de alguns alunos. 

Como nos veem?

Alunos da rede pública, aos olhos da sociedade são vistos como burros ou perigosos. Mas não somos. Temos ótimos professores e uma boa escola (em relação a minha). Apenas estamos presos em um sistema de educação propositalmente falido e às vezes essa injustiça revolta. Falta de vontade? Não. Falta mesmo educação e respeito. Educação vinda de pais mais otimistas que cobrem o melhor dos filhos e respeito de um governo que não pague um aluno para ir à escola almoçar e passar de ano, e sim investir em uma reprovação por necessidade para que venha bancar a si mesmo no futuro.

Alunos da rede pública, aos olhos de um professor são divididos entre educados e mal educados. Educados cumprem com obrigações e mal educados não. Mas na verdade um aluno que não cumpre sua obrigação tem extrema dificuldade em cumpri-la simplesmente porque nunca foi cobrado. Alguns jogam a toalha e não há conselho que apague a ideia de que a injustiça é uma barreira inabalável, outros conseguem levar porque ainda lhe restam esperanças. Porém, se reeducar é muito mais difícil. Alunos educados geralmente sentem as mesmas dificuldades, mas encaram como desafios. Nesse ponto, posso dizer que um aluno precisa, na escola pública, lidar com os professores falando constantemente sobre injustiças e ao mesmo tempo falando que somos muito capazes. Consiste em não se acostumar com a "facilidade" e ao mesmo tempo fazer sozinho ser algo mais produtivo.

Alunos da rede pública aos olhos do governo são marionetes. Ao mesmo tempo que dão benefícios para ingressarmos em faculdades com mais facilidade, estão cada vez mais piorando o ensino. No fim, pesquisas apontam que menos de 30% de alunos da rede pública estão matriculados na USP, mas eu aposto que mais de 80% dos estudantes nem sequer tentaram ingressar. Particularmente, eu não gostaria de ser tratada como "mais burra" do que alunos do ensino particular. Logo, na faculdade os valores se invertem e o governo banca quem sempre pagou uma escola particular, e quanto a nós, da rede pública, quem puder que pague por sua faculdade.

O que realmente somos:

Somos todos jovens que almejam um futuro de sucesso, sem exceção. TODOS gostaríamos de aprender e ter oportunidade de ser "alguém na vida". Aliás, essa expressão "ser alguém", só nos induz ao pensamento de que nada somos agora e sendo nada, nada podemos. Não existe um aluno que não entra na escola no primeiro dia de aula e pensa: "esse ano eu vou aprender muito". Não devíamos ser vistos, de maneira nenhuma como "o problema". O problema é o sistema que fez ser assim. O problema é que não nos deram educação nem sequer respeito já no inicio do processo.

É certo que muitos alunos ficaram contentes com a paralisação, mas, será que não é porque a escola é um ambiente que infelizmente nos trás a sensação de que agora já é tarde demais para conseguir? Sim, sem dúvida alguma, muitos alunos vão à escola, e nos poucos minutos que se concentram em uma aula já se sentem incapazes, pois já perderam toda a base do ensino, não é possível, é como construir uma casa sem alicerces.

Paralisar é a solução?

Quando passou na rede globo: "não levem seus filhos à escola no período de greve", eu logo passei a refletir qual o motivo dessa informação estar na Globo. Cheguei a conclusão de que paralisar não é a solução. Vários professores não aderiram à greve, e a escola ficou praticamente vazia, muitas dúvidas poderiam ser tiradas nesses dias, mas na própria tv disse: "não vá a escola". Perdemos aulas assim praticamente todos os anos, será que não é isso que o governo quer? O governo quer pagar professores? Quer bancar aulas? Claro que não! Será que a desvalorização é só do professor? Será que nós alunos também não estamos sendo desvalorizados?

Eu acredito que sim, estamos sendo desvalorizados. E o meu direito de ter aula? Foi perdido? Será reposto de maneira adequada? O que mudaria se os salários do professores aumentassem? Eles só ganhariam mais para aguentar nós alunos com a mesma condição que estamos.

A situação só vai mudar quanto TODOS forem as ruas não pedir apenas valorização do professor, mas valorização de todo o ensino. Quando pais, alunos e toda a rede pedir por reajuste do sistema, por respeito e igualdade disciplinar. Queremos a oportunidade de contribuir no desenvolvimento do nosso país. Não precisamos de bolsa nenhuma do governo, pois somos capazes de aprender e ganhar muito mais, e SER muito mais.

O que achou?
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Categorias: ,

18 comentários:

  1. É um desabafo e tanto hein?
    Ta muito legal o texto!
    http://juliabottoni.blogspot.com.br/
    http://existem-fadas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. É muito verdade isso. Infelizmente você deve ser um dos poucos estudantes que não pensa só "EBA, SEM AULA" e sim pensa no seus estudos, professores, escola e na desvalorização de tudo isso :/
    http://ceudeoutubro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Minha escola já entrou de greve super concordo com você. Acho um desrespeito com o aluno, que só é prejudicado.
    Aproveitando, eu estou com post novo no meu blog e ficaria super feliz com uma visita tua.
    http://romannticize.blogspot.com.br/
    Beijosss

    ResponderExcluir
  4. Passando para desejar um ótimo final de semana!
    http://www.starfashionmakeup.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Adorei esse post Suzana, eu sempre estudei em escola pública, só agora que eu estou na faculdade privada, mas quanto aos professores eu não tenho o que reclamar, tem muitos professores excelentes, mas que não são valorizados, professores que dão de tudo para os alunos,mas recebe aquele misero salario do governo, complicado demais né, eu nunca gostei de greves também, porque a gente sempre se atrasa em tudo, mas se isso acontece todo ano é porque é necessário, os professores tem que lutar pelos direitos deles, mesmo que não adiante muito, pelo menos algo vai.
    E realmente existe esse "preconceito" com os alunos das escolas públicas, sempre acham que são os mais burros que não está nem ai pra nada, mas não é bem assim, tem muitos alunos inteligentes que as pessoas não "enxergam" isso né, complicado demais.
    Mas enfim, tomara que essa greve na sua escola se resolva logo e vocês voltem com as aulas.
    Beijinhos
    Facebook do blog
    conversando-com-a-lua.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  6. Oii Suzana, li todo o seu texto, e fiquei de boca aberta, você escreve super bem. Essa é realidade do nosso país, é dura infelizmente. Hoje o governo passa o aluno sem saber nada, no ensino fundamental por exemplo, não existe mais essa de reprovar, eles só vão passando, por isso que o nosso país é cheio de pessoas semianalfabeto. Aqui na minha cidade as escolas também estão de greve, os únicos que sai no prejuízo são só os alunos.
    http://patonilda.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Velho, e como eu te entendo. Como você conclui em vários dos parágrafos, temos ótimos professores e os alunos não estão "pouco se ferrando" como a grande maioria pensa. Queremos estudar sim! Mas o que dificulta é a indisciplina (falta de educação, bitch please) de alguns e a falta de uma estrutura mais sedutora. A escola não se moderniza, sequer os princípios de uma escola nós temos, então fica difícil mostrar pros alunos a diferença entre passar 12 anos da vida deles atrás de uma carteira e a de simplesmente cumprir com uma obrigação. Modernize-se Brasil! Mas antes, tomemos vergonha na cara.

    ResponderExcluir
  8. Oi, linda.

    Infelizmente, nas faculdades federais - posso falar, pois sou aluna da UFBA - as coisas também não são tão boas não, viu? Eu sempre digo que, se alguém pode pagar para estudar numa faculdade particular, pague. Apesar de tudo, sou grata pela vaga que consegui, estou aprendendo bastante e as universidades federais garantem prestígio aos formados - já que a entrada é tão acirrada. Daqui a pouco eu chego lá.

    Boa sorte!

    Isie Fernandes - de Dai para Isie

    ResponderExcluir
  9. Poxa dei valor ao seu texto, já passei por isso, há uns dois anos atrás e sei como é horrível, no começo não ligava pois acordava tarde ne, mas a greve foi continuando e vi que a situação não era nada agradável, espero que tudo se resolva. Beijos!

    http://angeldamoda.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Acho que muitos de nos não entende o principiou de uma escola, tipo se não tive se o professo o que seria de um medico e um advogado acho que temos capacidade de termos um pais melhor de escolas melhores um ensino melhor não que não temos mas temos que ter uma escola que nos seduza como a Midria disse uma estrutura sedutora !!!

    ResponderExcluir
  11. Ótimo texto Suzana, o ensino público só piora, ao invés do governo inventar cotas e mil programas para facilitar o ingresso nas faculdades públicas, devia melhorar a base do ensino público, dar melhores condições, dar suporte aos professores, alunos e gestores, mas nesse país é assim, professor ganha merreca e alunos não são valorizados...é revoltante, beijs

    ResponderExcluir
  12. Suzana esse é um problema que aflige os alunos das escolas. Su beijos.
    Links:

    Estrela da Manhã

    Divulgue seu blog no face

    ResponderExcluir
  13. Olá Suzana, concordo com o que você disse! No meu ponto de vista o Governo quer mesmo é deixar o povo "burro", do tipo "analfabeto funcional", que sabe ler e escrever, mas não interpretar, assim fica mais fácil de manipular a população. E agora formam professores "burros" também, que é essa nova geração que mal sabe escrever o nome, mas são aprovados em faculdades particulares que cobram uma mixaria ( que é financiada pelo governo) por um trabalho porco. E logo mais estarão lecionando em escolas públicas, sem a menor estrutura intelectual para ensinar uma criança.

    ResponderExcluir
  14. Uaaau, ficou demais o texto, não tenho nem o que acrescentar! Estudei minha vida inteira em escola pública e te entendo bem em relação a tudo o que falou. É difícil, mas é como você disse, isso só vai mudar quando todo mundo se der conta do que acontece e sair para protestar; educação de qualidade é um DIREITO nosso! beeijo ;*

    ResponderExcluir
  15. I am genuinely thankful to the owner of this website who has
    shared this fantastic paragraph at here.

    Feel free to surf to my blog post - family cell phone plans with unlimited texting

    ResponderExcluir

Deixe sua opinião, será muito bem vinda!

Caso tenha alguma duvida, pergunte, e volte no post que logo será respondido.

Os comentários não aparecem aqui assim que você comenta, todos os comentários são moderados, e podem demorar um pouco para aparecem na página.

ATENÇÃO BLOGUEIROS: Evite spam, não deixe mais de um link na sua postagem, ao contrário ela não será aceita. Eu retribuo COMENTÁRIOS DECENTES. :)