22 de julho de 2014


Somewhere Only We Know by Lily Allen on Grooveshark

É pequeno, é simples, é belo.

Eu acho pequeno demais comparado à alegria que me traz. Mas também sequer aguento carregar inteiro no coração. Certos momentos sinto como se fosse explodir. E expirar. Contigo. Para um estado mais pleno e perfeito do que o simples dia a dia que é tudo que posso te oferecer. E mesmo que com todo cuidado, ofereço com deslizes e cheio de imperfeições.

Mesmo assim não quero imaginar como seria viver sem você, ou melhor, sem o que sinto por você. De fato é o que me completa. Mas não aniquila minha solidão. E não te reclamo isso. Pois quando estou só sinto a falta que você faz. É uma das coisas que sinto: Sua falta. E mesmo só, tenho certeza de que não estou de fato só. Mesmo tremendamente sozinha, há uma gota de esperança na minha consciência que diz: ele está aqui.

Sinto sua presença mesmo quando não se faz presente. Como um presente que Deus enviou a mim. Como uma borboleta que pousa no meu ombro. Como joaninha que alça voo desesperado quando chego perto, desejando no meu intimo, ser tão ínfima quanto ela. Eu queria muito caber no coração de alguém. Ser transparente no agir, para que apenas sentissem minhas vibrações.

Sinto que não valho a pena pra tanto do teu cuidado. Me assemelho à uma folha que, jogada ao vento, não se sabe para aonde vai. Mas eu quero ser guardada no teu livro, marcando a página mais importante da tua história. Sei que o que um dia aclamávamos e deliciávamos não vai passar de vaidade. Se talvez entendêssemos que as marcas que o tempo nos dá são lembranças do quanto aprendemos com ele, carregaríamos rugas com orgulho. Mesmo assim eu faria tudo para ser tua eterna musa. Sei que não sou a mais bela, mas se eu carregasse nessa pequena folhinha o que de mais belo carrego comigo, não seria, quem sabe, capaz de alegrar (terna e eternamente) teus dias?

O que eu sinto por você não cabe nas palavras, mas preenche meu pequeno coração. 

21 de julho de 2014


Já estava há um tempo devendo mostrar o conjuntinho mais fofo que encontrei na Marisa e comentei várias vezes com vocês rs. Nunca pensei que iria usar tantas tendências juntas: estampa retrô + conjuntinho + top cropped + decote ciganinha. Misturei com algumas peças que eu gosto pra combinar e fazer mais meu estilo e gostei do resultado, seja moda ou não.


Já falei de como modelo meu cabelo aqui.


Como já disse, o conjuntinho é da Marisa. (E eu comprei na promoção!)


A camisa é da CeA.




Na make: delineado + batom Vermelho Rock (que na verdade é rosa!) da Natura.


Destaque charminho das minhas pintinhas rs -sqn




A pulseira peguei emprestado da minha prima, e o colar ela mesma fez e vende na lojinha online: Astri Biju.


Gostaram? ♥


20 de julho de 2014

Depois de um tempão (com preguiça) sem tempo para escrever esse post, venho hoje com muitas fotos e muita história pra contar, porque por incrível que pareça fiz algumas coisas importantes no decorrer do mês que se passou e o que se iniciou, e quero contar tudinho pra vocês! Sem enrolação:


Quando o casamento da minha prima estava chegando eu percebi que ainda não tinha  comprado um vestido pra usar e parti junto à minha mãe+pai+irmão às compras (porque eles também deixaram para ultima hora comigo), fomos no Bom Retiro, Shopping Center Norte, Shopping D, todos em São Paulo, e por fim no Shopping Internacional, aqui de Guarulhos. Nessas horas eu grudo na minha irmã (que diz que vai ser estilista!) e ficamos juntas julgando se gostamos ou não das roupas. Como costume, tomamos sorvete de casquinha no mc, e por mais que a gente só ande e não compre praticamente nada, é muito divertido.


Por fim o dia da festa chegou e eu aproveitei tanto que mal tirei fotos. O casório foi no Sítio Portal da Serra (ô lugar bonito!), fica em Santa Isabel e é a terceira festa que vou lá. Só que dessa vez fui mais bem acompanhada (românticamente falando) e me diverti muito com meu namorado.


 No decorrer da semana tirei muuuuitas fotos. Haja posts pra vocês.


Essa sandália ganhei da minha tia no começo do ano, quando fui para Recife - PE. Nunca tive oportunidade de mostra-la aqui, apesar de usar bastante ♥


Usei a caixa de bombom que ganhei de dias dos namorados (e acabou tudo!) pra guardar meus brincos. Ficou um doce.


Como chegaram livros novos pra mim essa semana, tratei de organizar o cantinho. Logo logo não vai mais caber aí!

Foto que ficou restando da resenha que fiz do livro Anasquistas, Graças a Deus.

Outras coisinhas do meu dia-a-dia:


1. Chegaram os dois produtinhos que faltavam pra eu ter toda a linha Modela+Trata da Tutanat. Já resenhei vários aqui, e logo logo mostro esses também. 

2. Cacheei meus cabelos nos dois últimos fins de semana, logo logo explico melhor o por quê!

3. O livro novo que eu tinha mencionado: As Aventuras de PI, comprei por 5 reais na promoção da Submarino!

4. Minha gatinha sendo neném.

5. Congresso de Jovens chegando na minha igreja, juntamos os músicos+vocal para ensaiar no estúdio! Essa foi a minha segunda experiência em um estúdio, e eu só posso dizer que é muito bom estar nesse ambiente.

É isso pessoas, espero que tenham curtido a baguncinha pra tentar falar um pouco dos dias que se passaram, prometo que vou tentar não acumular mais! hehe Agora aguardem os looks e resenhas que virão por aí!

Me segue lá no insta: @Suzanasantos97


19 de julho de 2014


Em primeiro lugar quero pedir mil desculpas pelo meu sumiço aqui do Adolecentro. Meu trabalho está consumindo a maior parte do meu tempo e eu ando bem cansada. Mas, agora que eu voltei quero ver me aguentar.

Bom, esse livro é o primeiro de uma coleção de 7 volumes com 5 já lançados. "Guerra dos Tronos" é uma trama emocionante, empolgante e muito bem desenhada por George R.R. Martin.  Nesse primeiro livro são 592 páginas de pura emoção e detalhes dos mais sórdidos possíveis e claro, um clima medieval épico. George é um escritor tão único que ele não se prende a aquela velha fórmula de que tudo acaba bem pra todos. É um livro sem aqueles clichês absurdos de que estamos costumados a ler.

A Guerra dos Tronos tem três argumentos principais  em sua história que se interligam cada vez mais no decorrer dos livros:  a crônica de uma guerra civil dinástica entre várias famílias em busca do governo dos Sete Reinos, ou melhor dizendo, eles travam uma guerra entre si pela posse do Trono de Ferro.  Foi esse livro que deu origem a  adaptação da série produzida pela HBO,  que vocês podem assistir suas 4 temporadas aqui.  Eu como leitora e fã, aconselho a vocês lerem os livros antes de assistir a série, ela contém spoiler e não vai ser nada agradável.

Eu tenho os 5 volumes e preferi fazer uma resenha para cada livro justamente por eles serem grandes e conter spoilers. Mais enfim, é isso!
Beijos, Ísis Moullin ♥

18 de julho de 2014



Autora: Jhully Inácio | Editora: Penalux | N° de pág: 100 

Vocês acompanham há um tempo a amizade que aconteceu entre euzinha e a escritora Jhully, colaboradora do blog (que está um pouco sumida devido a trabalhos), cujas conversas sempre me dão alegria. Como se já não bastasse, a Jhú fez questão de trazer alegria palpável: me enviou o seu primeiro livro, com uma dedicatória que eu tenho orgulho e ciumes de mostrar, e um marcador reproduzindo a lindeza da capa.


Assim chegou até mim todo o carinho que eu sequer sei como retribuir. Porém hoje venho com a imensa responsabilidade de resenhar esse livro, um desafio que aceito sem pensar duas vezes (mas com um pouco de atraso rs)


"A gente tá longe assim, mas Nós de Saudade são pra manter perto, não são? É o que explica e nada contradiz. Eu não sinto sua ausência, porque o seu coração está presente no meu. Nossos Nós nos atam numa perfeita harmonia e nos faz eternos. Te amar é pouco perto da minha gratidão, zé. Devo-te mais. Mas ainda sim, te agradeço"

do texto Inefável.

Dó de terminar

Peguei o livro e levei comigo por onde eu ia, mas tinha dó de começar a ler. Aquelas páginas, com textos tão curtos e tão delicados! Eu precisava de calma, tempo e uma mente aberta a tudo que a Jhú tinha a dizer e transbordar, pois sem exageros, esse livro transborda e inspira: amor, alegria e poesia. Até que não aguentando mais esperar o momento perfeito, em uma aula na escola, peguei o livro e comecei a ler. Daí percebi que não precisava de nada para ler esse livro, a própria escrita da Jhully já proporcionava tudo isso: me tirou daquela aula barulhenta e irritante, me fez mergulhar de cabeça nas páginas que eu mal conseguia parar para grifar alguma citação que gostei muito. Ainda bem, senão o livro estaria inteiro grifado.

Não estou sendo exagerada, quem acompanha os textos da Jhully sabe do que eu estou falando. Mas ela sempre avisa: quem lê poesia, também é poeta. E eu digo: pra ler o livro dela, tem que ser poeta. Ao contrário, esse livro não vai passar de "bonitinho" pra você. Eu acho que entendi o recado, pois os textos todos me arrepiavam e me tocavam.

Sem querer, já estava terminando o livro, pensando "já?", não!! Foi rápido demais e eu não parei nem um pouquinho pra digerir o que estava lendo. A leitura simplesmente fluiu de uma vez. Terminei com uma vontade enorme de reler, e o resto do meu dia já não foi o mesmo: eu estava toda melancólica e sensível, com aquela sensação quando a gente termina um livro muito bom.

Claro que sou fã da Jhully. E depois de conhece-la me sinto triste quando penso o quanto os autores iniciantes são subestimados! Jhully Inácio, com toda sua simplicidade, com seus pequenos versinhos e prosas de um parágrafo só, surpreende e envolve quem se deixar envolver. É só querer. E eis o meu conselho: Queira!

Gostaria de contar a linda história que está por trás de textos tão lindos, porém não vou estender mais a resenha. Leia o livro e descubra!


Nota: ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ / 5 - | Leitura fácil


Se você se interessou, procure a Jhully Inácio no facebook para saber como adquirir esse livro

17 de julho de 2014


O frio chegou e me pegou romântica! Nunca pensei que algum dia eu me vestiria tão retrô ou girlie, com esses tons de rosa e sapatilhas delicadas... Mas a graça da vida é essa! E cá estou sem medo combinando tons rosinhas e vermelhos com essa saia que gosto tanto. Seja lá se é moda ou não o que me influencia, apenas me sinto interpretada pelo que visto.


Saia e sapatilha: Marisa.


E adorei o caimento das cores desse look! Uma pena minha blusa True Love ter ficado tão surradinha depois que fui à praia com ela (mostrei o look aqui), mas nada que uma jaqueta não disfarce.



Pulseiras todas minha prima fez, ela tem a lojinha: Astri.


Usei esse look em um dia qualquer, porém coloquei para fotografar no mesmo dia que gravei o vídeo: "Ativando suas ondas com Onduliss"


Colar boquinha que ganhei da Millani Fine Bijoux. Ele não saiu muito bem nas fotos, então dei esse clique separado.

Se enjoaram de tanta (tentativa de) meiguice? :P

16 de julho de 2014

A família de imigrantes na São Paulo do século 20




Autora: Zélia Gattai | Editora: Record (edição 29) | N° de pág: 425

Sinopse: "Um dia Zélia Gattai resolveu escrever uma história de sua infância, e escreveu a história de sua infância. Lembranças de uma infância e uma adolescência ricas de acontecimentos, narrando o cotidiano das famílias dos imigrantes daquela época, em São Paulo. A vida que decorre, os pequenos incidentes, os grandes eventos, as dificuldades, a luta, os ideais, os sonhos, a indomável coragem de uma gente sofrida... Para o seu antigo fã-clube foi, a um tempo, a alegria da descoberta de como aquele universo podia se transformar em obra literária e a perda da exclusividade. Mas valeu a pena. Valeu também para a multidão de seus leitores, que a acompanha. Admiradores apaixonados incondicionais: é o que o mistério de Zélia é a capacidade de, num gesto ou numa frase, colocar a sua alma e, assim chegar direto aos corações." (fonte)

Um relato simples e envolvente.


Quando achei o livro perdido entre tantos outros na estante da biblioteca da escola, dei uma primeira olhada, tirei minhas impressões, apontei para um colega "olha que legal", o sinal bateu e deixamos o livro lá. No outro dia assim que sai para o intervalo fui busca-lo, pois não conseguia parar de pensar o quanto queria ler aquele livro! Como comecei a leitura esperando saber mais sobre os Anarquistas e finalmente entender como agem e como são, o livro foi uma completa surpresa para mim! Pois esperava me deparar com um relato com o mínimo de política e não foi exatamente isso que encontrei. Foram coisas muitos melhores.

Descobri que Zélia Gattai é esposa do autor Jorge Amado, grande Jorge Amado! Claro que já a admirei desde então. Ele que deu a ideia de escrever esse lindo relato. E então descobrimos o primeiro livro de Zélia com tamanho talento para escrita, com uma narrativa própria e envolvente. Ela se desprende de tudo o que esperamos dela e conta com propriedade sua infância na São Paulo do século 20, como imigrante italiana, entre tantas outras famílias imigrantes. A narrativa vai desde a paixão de seu pai pelos automóveis, quanto a ida ao cinema, à praia de Santos, o crescimento da família, entre outras coisas simples e de valor imensurável para uma vida. Sem excluir as perdas, os desastres, os imprevistos... De quebra, aprendi um pouquinho de como era a sociedade na época, o suficiente para me deixar curiosa.

E se você acha que vai se entediar pelas mais de 400 páginas de um relato tão simples, você está enganado. Pelo menos eu me enganei. E percebi isso desde a primeira página, quando já não queria parar de ler e a leitura fluiu muito bem. Zélia é envolvente. Ela escreve coisas tão simples como se elas fossem grandes e nos faz acreditar nisso. Foi uma leitura deliciosa, conseguir enxergar o Brasil do século 20 através dos passos de uma garota que está entrando na adolescência... Da forma mais natural (e real!) possível.


Nota: ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ / 5 - | Leitura fácil


Uma curiosidade: Esse livro já virou mini série na Globo, 5 anos depois de sua publicação, em 1984.