26 de setembro de 2016


Infelizmente chegamos na minha última semana de férias do trabalho! Agora começa a contagem regressiva: tentando colocar a vida em ordem em apenas uma semana, para só trabalhar e descansar rs Será que dessa vez consigo? Eu espero de coração que sim ♥

Foi um mês de descobertas e de paz. Descansar faz bem, mas descansar de mais não é legal. Cuidei muito do meu cabelo e da minha pele, seguindo o cronograma da Tutanat; e até agora só passei maquiagem no rosto duas vezes nesse mês todinho, e me sinto muito bem tanto com make, quanto sem make. Tudo vai do momento, se estou a fim ou simplesmente não estou.

Também continuei cuidando das unhas. Essa semana passei com esse rosa maravilhoso. O vidrinho dele é outra maravilha à parte.

As pequenas delícias do dia são muito bem apreciadas, sem pressa nem cansaço. Meu irmão me pagou um Cornetto, nunca tinha comido isso antes (acho caríssimo rs), mas é muito gostoso.


No  último domingo, com um surto de saudade do meu trabalho diário, tirei todos os meus livros da estante e organizei novamente. Minha irmã também tem uma pequena coleção que fica no guarda-roupa, porque simplesmente não cabe mais nenhum na pilha. E quem disse que tenho coragem de ficar sem comprar? Na vontade de levar um por mês, sempre acabo comprando dois ou três. Aí está a bagunça e depois eles todos arrumadinhos. ♥

Para completar, comecei a ler o segundo livro lançado do Carlos Patrício, que comprei na Bienal do Livro. Posso adiantar que seu trabalho é muito critico e muito bom. Em breve vou resenhar esse e o Delirium, que também estou lendo. Ah! E alí no fundo, sim, é o DVD Original do filme O Fabuloso Destino de Amélie Poulain. É um dos meus filmes favoritos.

Uma ótima semana a todos! Torçam para que tudo corra bem nessa última semana ♥ Me siga no Instagram.

Instagram
Últimos Posts:

21 de setembro de 2016


Eu a conheci tarde de mais para realmente conhece-la. Eu não tenho coragem de perguntar. Eu não tenho direito de saber. Mas me lembro de Vinicius de Moraes dizer que um poeta só é bom se for triste... E eu via poema na casa toda, decorada de amor. O que seria daquela casa se não fosse aquela mulher?

O que você gostaria de ser quando crescer? Eu gostaria de continuar sendo aquela criança que um dia fui. Tentei arranca-la de mim. Ou apenas descobrir-me. Mas eu sempre fui aquela criança, eu nunca serei nada além disso, ainda que eu ganhe alguns centímetros a mais. Uma criança perdida de sua mãe.

Em uma tarde de domingo eu deixei de ir à igreja e fui na casa de alguém. Era um lar, que como qualquer outro lar tinha cheiro de recomeço. E ali naquele pequeno mundo, eu olhei para uma senhora que comportava outro mundo por trás de seus olhos. Eu via pela maneira como tinha os olhos serenos e caídos, e como abraçava sua irmã, que ela tinha viva dentro de si uma paz que não se encontra em templos.

Era Maktub. Não se indagava sobre nada, acreditava no tempo, sobrevivia apesar do tempo, nublado, frio, chuva, calor. Sob frágeis raízes de apego, ela tinha amor em seus atos, em seus olhos, até pela maneira de mexer no cabelo, ajeitar a blusa, desculpar-se pela bagunça.

Foi naquela tarde, e a cada tarde, quando a via, trocando poucas palavras, entrando e saindo, sequer capaz de expor um pensamento, eu me perguntava onde o mundo quer me levar. Pelas ruas da cidade vou para lá e para cá, selfies, reclamando direitos, ajudando alguém, incapaz de olhar para alguém, tentando, tentando, tentando... Fazer do próprio mundo um grande lar, mas falhando. Era como procurar Deus no lugar errado.

Por que o lar está no coração. Você não precisa ir além disso. Apenas pare e escute-o. Conserve seu coração puro e você saberá o que fazer. Era o que eu lia a cada dia. Parece que seus passos levam-te apenas onde está seu pensamento. Meu pensamento estava na minha criança cheia de indagações. E eu encontrei-a naquela casa, sentei, conversei com ela. Ainda mais cheia de indagações, era minha paz. Um dia, enfim, ter a força da sua paz.

Minha criança inocente, quebrada pela malicia, um dia queria ter maturidade para perdoar-se, deitar-se no fim do dia e dizer: Deu tudo certo. Como mais uma vez as coisas tinham que ser. Aqui está a vida, grande em sentimento, pequena em espaço e sem razão. Gratidão.

18 de setembro de 2016

dicas de estudos
Foto: We♥it

Hoje vou mostrar como fiz para aprender boa parte do conteúdo das principais matérias do Ensino Médio que caem no ENEM e na maioria dos vestibulares das faculdades. Quando eu comecei a me tocar que tinha muita matéria acumulada para revisar, e depois de ver que eu não conseguiria dar conta de tudo aquilo, me desafiei a tentar de alguma forma. Eu não podia ficar parada!

A maioria dos livros indicados eu já tinha lido na escola, porque literatura sempre foi minha matéria preferida. Então bastou ler alguns resumos e estudos sobre as obras para concluir essa parte.

Como eu já disse aqui, o mais importante é ter uma meta. No meu caso, eu bolei uma "pequena estratégia" para me ajudar um pouco mais. Como eu não tinha tempo, nem estava fazendo cursinho, preferi focar nas matérias que eu apenas conseguiria aprender por conta própria. Levando em conta que o Sisu e o Prouni atribuem "pesos" diferente para cada matéria, dependendo do seu curso, e a faculdade que eu prestaria vestibular não teria matérias de exatas, eu foquei somente nas matérias de humanas.

Claro que, se eu pudesse, eu teria me dedicado às outras matérias. Com certeza elas são úteis na hora de fazer a prova do ENEM e teriam me ajudado muito no segundo dia da segunda fase da Fuvest (que é o mais difícil de todos), mas a questão é que eu sabia muito bem que se eu tentasse por conta própria, eu acabaria desistindo e ferrando com todas as outras matérias que eu tenho mais afinidade. No final, fiquei feliz com meu resultado, já que eu adquiri muito conhecimento que será útil na hora de fazer a faculdade também.

são boas?
Foto: ProsaSuzana

As apostilas do Guia do Estudante foi o material que mais me ajudou a estudar. Comprei a de Atualidades, Redação, História, Português e Geografia... Conforme os estudos avançaram comprei também a de Biologia. Superguia ENEM de Sociologia e Filosofia foi muito boa também! Elas são fáceis de encontrar em bancas de jornal ou pelo site da Livraria Saraiva, preço médio 18,90.

Todas elas vem com algumas questões dos principais vestibulares, pra mostrar na marra "como cai na prova", só pra gente ver se estamos realmente  preparados para aplicar os conhecimentos. Todo mundo tem pavor da segunda fase da prova da Fuvest, por você ter que escrever a própria resposta, mas pra falar a verdade, eu achei esse método muito melhor! São menos questões, e você não tem chance de errar por ficar confuso entre duas alternativas ou nenhuma. O fato é que se você estudar não tem erro. Simples assim. Já as alternativas geralmente tem "pegadinhas" e costumam deixar a gente bem confuso.

Minha organização foi a seguinte: ler uma quantidade de páginas por dia, anotando o que eu achava importante, pesquisando melhor assuntos que eu não compreendia, e lendo/assistindo todas os livros e documentários que eles indicam para fixar melhor os assuntos.
Estudar com apostilas é um ótimo meio para quem tem facilidade de aprendizado através da leitura.


Os Canais no Youtube também são uma ótima ferramenta para estudo. Eu prefiro aqueles que contém o assunto bem resumido, e caso surja alguma dúvida o jeito é correr pro google e começar a pesquisa. Um dos melhores, na minha opinião, é o Oficina do Estudante (esse do vídeo acima). E o melhor é que você consegue estudar através de aulas totalmente gratuitas.


Vídeo aulas funcionam melhor para estudantes que preferem estudar com alguém explicando, ao contrário da leitura.

simulados
E claro, os simulados são fundamentais. Esse do Sistema Etapa eu ganhei, é uma apostilinha com a prova inteira de 2014. Já o Livro Ficou Fácil Passar no Enem, vem com 500 questões comentadas e mais temas de redações anteriores, o melhor que existe para treinar! A edição atual está disponível para venda na Livraria Guarulivros, R$ 69,90.

Para quem mais tempo disponível, existem as aulas online, a que já testei e mais recomendo é o Descomplica (a assinatura custa em média R$ 25,00).

Espero mais uma vez ter ajudado!

16 de setembro de 2016

A questão não é que vi um futuro para nós, não vi uma aliança em meu dedo, não vi nossas realizações. A questão é que simplesmente te vi. No começo eu queria negar isso, fingir que nada aconteceu, que foi coincidência. Mas não era. Cada dia passava e eu te notava mais, te queria mais, tinha você em meu pensamento. E me pergunto como isso pode acontecer... Qual a formula mágica que une as pessoas, que me fez te olhar daquele modo?

No inicio todo mundo te alertava que meu olhar te dizia tudo. Eu tentava esconder à todo custo, mas eu acabei gostando do seu jeito, gostando da sua voz e fui me aproximando de você. E a química que a gente tinha foi tão forte, e foi ficando melhor quando conheci seus gostos, sua personalidade e seu modo de ser. Foi aí que eu já estava mais do que entregue a você.

Mas e você? O que você viu em mim? Um dia eu te perguntei e tu falou do meu jeito, da minha pessoa, enfim. E então você devolveu-me a pergunta e aquilo me deixou atordoada. Qualquer elogio que eu te faça agora não será suficiente para explicar. O que eu vejo em você parece algo natural, que me atrai, me conecta e faz tudo acontecer. Nossa conexão, ligados um ao outro até meio sem querer.

E sabe, eu agradeço todo dia a essa coisa que me une a você. Eu não duvido não. Eu gosto tanto e faz tão bem! Penso que é tudo que eu sempre quis. Acho que descobrimos o significado do amor, quando percebemos que não existem atribuições que podemos dar ele. É um verbo que não pode ser conjugado. É amar e ponto. É sentir e basta. Seja nos gestos, seja na fala, seja no abraço, seja nas horas sem fazer absolutamente nada.

O que eu vejo em você é todo pouco, que me preenche muito. Os pequenos detalhes e sua presença, sempre presente, desde que você chegou e ficou. O que eu vejo em você talvez ainda nem tenha nome, eu sei que é clichê, mas que seja sempre clichê, um filme repetido que a gente não se canse de assistir, de viver.