23 de abril de 2014

Quando tudo começou


sonho de ser escritoraMeu sonho de infância. Publicar um livro.

Sempre sonhei em ter na estante um livro escrito pelas minhas próprias histórias. Com meu nome. Com uma capa que falasse por mim. Com um amor em que eu houvesse vivido.

Comecei levar a escrita a sério no 1º ano, sob uma forte influência e incentivo de uma professora muito querida - Vera Lúcia da Silva - Vera me cobrava muito a cada aula. Sempre insistindo "menina, você tem futuro!", "não pare de escrever", "escreva diários". Sempre escrevi diários, mas escrever diário se tornaria algo mais sério à partir de então.

Em 2011, criei Entre versos e palavras, onde passei a publicar meus textos, compartilhar sentimentos, amores, saudades. E a medida em que fui percebendo um carinho e sentindo um retorno positivo do público em que eu, inesperadamente conquistava, resolvi ousar (no ano seguinte) criando uma página mais pessoal. A que leva meu nome e onde mais divulgo hoje. Através dela conheci pessoas importantes nessa jornada - Sabrina d'Ávila, Guilherme Antunes, Wendel Valadares, Rosa Elena Oliveira, Pâmela Marques - que além de me incentivarem, me levaram a conhecer a Editora Penalux.

O ano do livro mesmo foi 2013, quando morei por 6 meses em Santo André - SP e o escrevi da forma mais bela possível. Nunca foi tão gratificante falar de saudade! Sem dor. Sem desespero. Quando descobri que saudade é o amor mais bonito de se viver. 6 meses longe do amor da minha vida. Longe da grande razão de todo o sentimento presente neste livro e em tantas histórias da minha vida. Longe do homem que me ensinou a sentir saudade de uma forma doce, sadia, prazerosa. A saudade, embora nos fizesse chorar algumas vezes, nos ensinou grandiosamente a essência de todo o amor, de toda vida, de todos os planos que vivemos e pretendemos viver. Nos mostrou o quão forte é o carinho e o cuidado que temos um pelo outro. Nós de Saudade conta isso. Que saudade não distancia, nem é sinônimo de distância. Mas nos mantém perto, do lado de dentro, do âmago, do eterno. 

Ainda temos muito o que escrever sobre essa história. Eu. Ele. Você. E tantos amores que vivem há quilômetros. Mas antes, proponho que leia. Que me leia. Que nos leia. Que leia Nós de Saudade. Que sejamos Nós.

Saiba mais sobre o livro aqui.

22 de abril de 2014

resenha do filme

Todo mundo sabe o quanto sou curiosa com histórias que se passam em guerras dramáticas que realmente existiram, principalmente a Segunda Guerra Mundial. Mas pouca gente tem ideia de que esse interesse se despertou através da história da pequena Liesel. Foi a partir da leitura do livro (há dois anos atrás) que me senti obrigada a entender melhor tudo isso, uma coisa que no tempo eu não tinha ideia nem do quanto essa guerra foi real. Até o resenhei no blog, aqui (mas há dois anos atrás eu não sabia escrever resenhas decentes). Pelo apego que sempre tive à essa história, fiquei empolgada pelo filme. Por ser um livro grande e cheio de detalhes, sempre achei que uma adaptação cinematográfica fosse impossível de acontecer. Mas aconteceu, e eu estava com medo de me decepcionar. 

Antes que o filme fosse estreado no Brasil, eu assisti online e legendado no notebook. Eu queria muito ter visto nos cinemas também, mas me lembro que fui viajar no dia da estréia e voltei bem depois. Por fim, ainda pretendo revê-lo, sem essa ansiedade toda, com mais atenção e com uma legenda melhor, de preferência.

livro vs filme"Durante a Segunda Guerra Mundial, uma jovem garota chamada Liesel Meminger (Sophie Nélisse) sobrevive fora de Munique através dos livros que ela rouba. Ajudada por seu pai adotivo (Geoffrey Rush), ela aprende a ler e partilhar livros com seus amigos, incluindo um homem judeu (Ben Schnetzer) que vive na clandestinidade em sua casa. Enquanto não está lendo ou estudando, ela realiza algumas tarefas para a mãe (Emily Watson) e brinca com a amigo Rudy (Nico Liersch)." (fonte)

A impressão que tive foi que o filme foi feito para quem já leu o livro, porque alguns fatos mostrados são impossíveis de serem notados, previstos ou até entendidos por quem está vendo sem conhecimento. A rapidez com que tudo aconteceu, a demora para a guerra começar a aparecer na trama, talvez isso tenham sido alguns dos detalhes que tiraram a emoção e envolvimento com a Liesel. Talvez tenha faltado um pouco para que pudêssemos sentir o estresse da mãe adotiva depositado em Liesel e Rush (o pai), o sentimento de abandono, a amizade de Max, o amor por Rudy.

Em contra partida, a visão inocente das crianças e a sensibilidade dos adultos foram bem explorados - principalmente na parte que mostra Rosa (a mãe) se sentindo sozinha quando Rush é forçado a ir a guerra. - e tudo isso tira a dramatização do filme. Por isso eu esperava me emocionar mais no fim do filme e não aconteceu. Mesmo assim admiro o quanto o filme conseguiu ser agradável pra quem leu o livro, pois como eu disse ele é muito grande pra caber em poucas horas, e essas poucas horas conseguiram  se tornar em um bom resumo, que me fez lembrar do livro (e me dar uma imensa vontade de lê-lo novamente)


♥ ♥ ♥ ♥

Só teve uma coisa pela qual senti falta: o momento mágico dos desenhos de Max!

Enfim, e vocês o que acharam?

UPDATE: Como sempre, esqueci de colocar o link para o trailer rs Confira aqui.

21 de abril de 2014

Gel texturizador de alta fixação

ultrafix

Um dos produtos que recebi e ainda não tinha mostrado pra vocês dessa linha Modela+Trata que, aliás, é tão útil pra mim, (veja mais resenhas aqui) é o Ultra Fix, um gel de alta fixação. Demorei para resenhar porque não tenho costume de passar gel. Até dar uma chance pra esse.

qual gel comprar

Ele tem uma ótima consistência e todo mundo aqui em casa já testou. Minha mãe sempre prende o cabelo em rabo de cavalo e passa pra não ficar fiozinhos arrepiados, meu irmão também está arrepiando o cabelo com esse gel. Só uma gotinha, no tamanho de uma moeda, já é suficiente pra manter o penteado, dura muito!

alta fixação

Já eu, só testei passar bem pouquinho pra baixar os cabelos que ficam frisados quando eu os lavo e não paro quieta pra eles secarem baixinhos. Eu não entendo bem, mas tem dias que eu lavo meu cabelo ele fica com alguns fios finos e chatos cheios de friz! Só melhora depois de um ou dois dias. Em situações urgentes esse gel deu um jeito na situação!

Os cabelos não ficam com aquele brilho de gel, nem com aspecto de fios divididos/duros. 

cabelos

Alguém já testou? Conta aí o que achou!

UPDATE: Gel não é coisa que se usa todo dia! É indispensável para penteados ou como eu disse, "situações urgentes", não é um produto que se use todo dia meninas... 

17 de abril de 2014

Livros Rick Riordan
"Sete meio-sangues ao chamado vão responder; Em tempestade ou fogo o mundo deve perecer; A Promessa manter com o final respirar; E às Portas da Morte, armas e inimigos enfrentar."


É galera, vem por ai mais um feriadão! E pra não deixar o blog desatualizado {o que é muito difícil} eu lhes trago uma resenha completa dos 4 livros da série Os Heróis do Olimpo do autor Rick Riordan. Clique em Leia Mais, subam a bordo nessa aventura e preparem-se, o post é meio grande. Prometo ser breve ;3

16 de abril de 2014

alegria
Imagem do filme da Amélie porque amo ele e ponto final

Alegria é ter alguém pra quem sorrir, é ter colo pra deitar quando o mundo não gira bem, ou gira rápido demais. Alegria é ter calma no peito ou alguém pra acalmar. É sentar lado a lado, pertinho ou meio afastado, sentir que o espaço nenhuma diferença faz. E o silêncio não é nada de mais. Não tem sobra, nem tem demais, e tudo é meio certo, aliás, assim que tem que ser, né?

Alegria é sentir que a felicidade da chegada sempre supera a saudade da partida, é sentir o amor crescer a cada dia, é dormir e descansar. Alegria é alguém ligar de madrugada, nem conseguindo falar nada, interrompendo sonhos estranhos só pra ouvir uma voz que valha a pena escutar.

Alegria é quando você percebe que a sua voz tem timbre estranho quando tu falas com quem gosta, e quem se importa se você a faz sorrir? Quem se olha no espelho, no reflexo vê atrás a figura de um corpo inteiro, sentir que é tão frágil e intenso, mas também pode ser fugaz. Mas apesar da insegurança, desata um sorriso de esperança, estranha expressão que faz! Mesmo assim no reflexo você vê um sorriso, dos mais lindos que podem ser vistos, atrás de ti, parece achar graça dessa tua cara enrugada de sorrir, mas se a faz sorrir, você sorri mais ainda.

Duas solidões, quando sorriem, juntas, devem ser uma das sete maiores alegrias do mundo.

Alegria é conseguir ver que é alegria, apesar da vida não se sair tão bem. O espetáculo da vida é um ensaio cheio de erros repetitivos, e às vezes acertos, uma confusão de pensar, agir, falar. Quem se move com paixão, quem consegue enxergar além das letras e rabiscos de um roteiro e permite se perder e embaralhar entre peças de coadjuvantes tem a chance de deixar sua peça mais bonita (e alegrinha!) 


15 de abril de 2014

você conhece

A primeira música que escutei do rapper Valter Araújo, mais conhecido como Slim Rimografia, foi Mais Que Existir, há uns 3 anos atrás. Mal sabia eu que ela acabaria sendo uma música que eu digo até hoje que faz a "trilha sonora da minha vida". A música é triste, por isso hoje mesclo ela com alguma outra feliz qualquer (como aquela, Felicidade - Marcelo Jeneci). Mesmo assim não posso negar que até hoje me identifico com ela.

Foi assim que conheci o trabalho de Slim, que há 10 anos lança álbuns que são verdadeiras obras poéticas, a voz da periferia. Todas suas músicas levam critica social da realidade negra e pobre, enquanto também levam mensagens de determinação para quem se identifica, mesclando até com algumas românticas. Até o clássico poema Navio Negreiro nas mãos dele virou rap e grafite e foi publicado em livro pela Editora Panda Books, em 2011.





"Por que somos? Minoria no congresso maioria nas favelas
Somos! Maioria nos presídios minorias nas telas
Liberdade só se revela quando o povo se rebela 

 Só consigo me ver na TV quando eu desligo ela
Quantas mentiras até parecem verdade?
Quantos morreram por cada quilate que ostenta sua vaidade?
Dinheiro é necessidade não é vitória porém?
Vitória será, quando estampar um preto numa nota de cem [...] 

 Somente você pode se libertar!"





Espero que tenham curtido!

14 de abril de 2014


Como eu falei ontem, chegaram aqui em casa alguns mimos da Ana Maria. Além de surpresa, é claro que fiquei agradecida e imaginando como mostraria isso pra vocês. Assim, muito entusiasmada, e por que não mostrar com um belo look? Combinei algumas peças preferidas com as Havaianas exclusivas e lindas de poás que vieram e bum! Eu estava ótima para aproveitar o sol da tarde que fez nos últimos dias. 


Short da Marisa.



Batom Carmin - Elke.



A edição especial de páscoa dos bolinhos Ana Maria é a seguinte: triplo de chocolate!! OMG! ♥



A blusa tenho há um tempão rs





Estou apaixonada por essa cor+estampa poás! :3




Minhas unhas estavam, por sorte, combinando rs




Cartãozinho de feliz páscoa *-* 



Bolinho de chocolate com gotas de chocolate e recheio de chocolate. Deu vontade?



Assim, com muitas fotos e superanimada, agradeço a equipe pelos mimos e carinho.